Sistema Reprodutor Feminino

Ovário: Lâmina 107 (HE)

Revestido externamente por epitélio cúbico simples
Camada Cortical
Logo abaixo do revestimento epitelial está a túnica albugínea de tecido conjuntivo denso não vascularizado.
O estroma ovariano encontra-se repleto de folículos ovarianos em vários graus de desenvolvimento:
Folículo primordial: ovócito com uma camada de células foliculares planas
Folículo primário: ovócito com uma camada de células foliculares cúbicas
Folículo secundário: ovócito com várias camadas de células foliculares (granulosa) e aparecimento das tecas interna e externa provenientes da diferenciação das células do estroma. Se caracteriza pela presença do ANTRO FOLICULAR e ocorre também a presença de folículos atrésicos que variam seu estágio de degeneração, caracterizados de uma forma geral pela autólise do ovócito.
Camada Medular
Tecido conjuntivo frouxo ricamente vascularizado.

Tuba Uterina: Lâmina 109 (HE)

O aspecto altamente pregueado da mucosa desse preparado é característico da região da ampola.
A mucosa é revestida por epitélio cilíndrico simples secretor contendo células produtoras de muco intercaladas com células cilíndricas ciliadas. A lâmina própria é unida diretamente à túnica muscular que apresenta uma camada circular interna e uma longitudinal externa.
Externamente ao corte identifica-se a túnica serosa típica com mesotélio peritoneal.

Corpo Lúteo: Lâmina 108A (HE)

Brônquios
A porção central do corpo amarelo é formada por tecido conjuntivo frouxo e coágulo sangüíneo.
A porção glandular é envolvida por tecido conjuntivo fibroso o qual separa o corpo lúteo do estroma ovariano. De dentro para fora identificam-se duas camadas:
Camada granuloso-Luteínica ou luteínica
Internamente situada e constituída por células pouco coradas e globosas representa a maior parte do epitélio glandular.
Camada teco-luteínica ou paraluteínica
Externamente situada e composta por células menores, alongadas e mais basófilas.

Útero

Os preparados abaixo mostram um corte longitudinal da parede do útero onde é possível identificar o endométrio e parte do miométrio com várias direções de fibras musculares lisas. A presença de numerosas artérias reflete dois importantes plexos vasculares situados nas camadas medianas do miométrio. A serosa e parte do miométrio não aparecem nestas lâminas.

Fase Proliferativa ou estrogênica: Lâmina 110 (HE)

O endométrio apresenta o revestimento interno cilíndrico simples apoiado num abundante córion onde se pode ver a formação de glândulas tubulosas endometriais. As glândulas possuem uma luz bem definida e um aspecto retilíneo. A base das glândulas se mostra dilatada e está localizada na camada basal do endométrio, próxima do miométrio.

Fase Secretora ou progestacional: Lâmina 111 (HE)

Nesta lâmina observa-se um aumento do endométrio (mucosa) e uma abundância das glândulas endometriais que aparecem tortuosas, com a borda serrilhada e luz ampla, características desta fase secretora. O endométrio é espesso e edemaciado nesta fase do ciclo mestrual.

Colo Uterino: Lâmina 112

O segmento do colo uterino apresenta duas regiões histológicas distintas: o endocervix e o exocervix.
Endocervix - revestido por epitélio cilíndrico simples apresenta um córion preenchido por tecido conjuntivo onde estão presentes glândulas mucosas.
Exocervix - o epitélio estratificado plano reveste a porção externa do colo uterino, estando ausentes as glândulas nesta região. O córion capilar apresenta muitos vasos sanguíneos que se destacam no campo.

Placenta: Lâmina 112B (Gômori)

Placa Coriônica: porção fetal da placenta
Epitélio do âmnio presente como núcleos redondos e avermelhados revestindo externamente à placa coriônica formada por tecido conjuntivo.
Vilosidades coriônicas
As vilosidades originadas da placa coriônica apresentam-se em diversos cortes, ora transversais ora longitudinais ou mesmo tangenciais.
Por se tratar de uma placenta a termo identifica-se o revestimento pelo epitélio coriônico, o sinciciotrofoblasto. O preenchimento das vilosidades é feito pelo mesênquima e pelos vasos fetais.
Decídua basal: porção materna da placenta
Evidenciada pelas células de reação decidual com forma globosa e pouco coradas.

Glândulas Mamárias: Lâminas 118(repouso), 119(lactação) e 120(gestação)

As lâminas que se seguem correspondem a cortes de glândulas mamárias em três momentos fisiológicos diferentes: gestação, lactação e repouso.
Observamos grupos de formações glandulares (alvéolos e ductos) envolvidos por tecido conjuntivo frouxo e tecido adiposo, os quais correspondem a lóbulos das glândulas. Cada lóbulo corresponde a uma glândula mamária. Na sequência observamos as modificações morfológicas características de cada fase mostrada.

Canal Vaginal: Lâmina 112

Corte do canal vaginal onde se observa o epitélio estratificado pavimentoso. As células deste epitélio, são produtoras de glicogênio, e muitas delas aparecem pouco coradas pelo acúmulo destas substâncias. O córion e bem desenvolvido e apresenta papilas conjuntivas frequentes, sendo chamadas de córion papilar. As camadas subsequentes, muscular e adventícia, estão pouco evidentes nesta lâmina.

© 2009 Atlas de Histologia Médica / UCPel
UCPel